Bloco de parquete

INTRODUÇÃO

O piso de parquet natural é uma prancha em miniatura de uma determinada forma, cuidadosamente encaixada entre si, coberta com um verniz especial ou friccionada para dar brilho com mástique. Os primeiros pisos em parquet surgiram no século XVIII. O progenitor do parquet pode ser considerado um simples piso de tábua corrida, que, em comparação com outros tipos de piso da época, tinha a principal vantagem – era quente. Afinal, nem os pisos de pedra nem de cerâmica nesse aspecto poderiam substituir um piso de madeira. A principal desvantagem do piso de tábua corrida era sua monotonia, pois é impossível construir um piso comparável em beleza a um mosaico de tábua, mesmo bem aplainado e pintado. Foi então que nasceu a ideia de dividir o tabuleiro em faixas geométricas, a partir das quais se podiam dobrar várias opções de pavimentos. Este foi o nascimento do parquete.

Quando, com o tempo, surgiu a possibilidade de colocar um piso de parquete com vários tipos de madeira, surgiram verdadeiras obras de arte. Já era o parquete artístico, cujos melhores exemplares já se encontram nos tesouros de museus mundiais.

O parquet é um tipo de piso dividido em dois tipos principais: radial e tangencial. O nome da espécie é determinado pela direção dos anéis anuais no corte da árvore da qual o parquete é feito.

Radial – aqui as fibras de madeira são dispostas em fitas paralelas e estreitas. Trata-se de um parquete liso, de desenho simples, mas ao mesmo tempo austero e elegante, por isso é considerado o mais caro. O corte radial é indispensável para o parquet artístico, pois neste caso os detalhes do ornamento não se perderão no próprio desenho da árvore. Tal parquete dá a impressão de limpeza e limpeza, fica bem no escritório do chefe.

Tangencial – mais popular na Rússia. Com este tipo de corte, o plano de corte corre tangencialmente às camadas anuais de madeira. O parquete tangencial revela a estrutura natural e natural da madeira, e a estrutura arqueada dos anéis das árvores é claramente visível em sua superfície. Existe também um tipo misto, o denominado rústico (rústico), cuja estrutura tem uma certa variegação, pelo que este parquete é muito mais barato..

As características e propriedades estéticas dos pisos em parquet de madeira natural são determinadas pela qualidade e tipo de madeira. A qualidade mais importante do material inicial é a dureza, que depende da espécie, das condições de crescimento e do teor de umidade da madeira..

O teor de umidade do material de partida afeta muito a qualidade do piso de parquet. Se o parquet não foi seco ao grau necessário de uma só vez, depois de um tempo grandes fendas (até 5 mm) aparecerão no chão, que é quase impossível de selar. É por isso que as empresas líderes – fabricantes de pisos de parquet produzem seus produtos em plástico ou outras embalagens à prova de umidade.

Na escolha de um material para parquete, é dada preferência aos seguintes tipos de madeira: carvalho, faia, bordo russo (sicômoro, chernoklen), bordo americano, carpa, nogueira e nogueira manchu, pinho, freixo, bétula e bambu como novidade no mercado russo.

O carvalho é o material de parquete mais comum. É durável e bonito, tem uma estrutura pronunciada, e também é ideal para pisos em parquet, pois praticamente não altera o nível de umidade. Um verdadeiro carvalho pantanoso, deitado na água, tem uma cor muito interessante – de marrom-esverdeado a quase preto. Combinado com um corte radial, a estrutura dessa placa de carvalho é muito bonita. Deve-se destacar que o carvalho é frágil no cinzelamento, requer uma ferramenta dura e afiada e muito cuidado no trabalho. A faia não tem um padrão amadeirado pronunciado, então o parquete é liso. Esta raça pertence à espécie clara, menos texturizada, possui uma densidade inferior e, por isso, é bem processada. A faia é muito boa para lixar e polir. No corte radial, a faia revela placas brilhantes, visíveis do final, como linhas escuras. Este corte enfatiza favoravelmente a beleza do parquet de faia. A faia tem uma resistência muito elevada, e às vezes os parafusos aparafusados ​​na faia quebram, mas não rasgam a madeira. Esta raça é adequada para a confecção de layouts de perfis, é bem suscetível a manchas, seca rapidamente, não racha. A faia absorve facilmente a umidade, então os produtos dela devem ser envernizados.

O bordo russo é uma madeira densa com um padrão delicado, fácil de polir e cortar. Normalmente, as peças pequenas com perfis complexos, entalhes e incrustações são feitas de bordo..

O bordo americano é muito semelhante em textura ao cinza, mas a madeira aqui é mais densa e com poros finos. Mal processado, exige polimento com dificuldade. A carpa tem uma melada leve e muito bonita, tem alta resistência e é fácil de manusear. A madeira de Hornbeam é bastante pesada, adequada para imitar o ébano. Resistente à abrasão, fissura quando seco. A nogueira é uma madeira marrom-avermelhada, às vezes com veios escuros. É adequado para tingir e polir, aplainando com dificuldade. O material é pesado, duro e durável, tem uma bela textura e uma variedade de cores. O pinho tem um grão bastante reto, seca rapidamente e deforma um pouco. Camadas anuais são facilmente visíveis em todas as seções. Segura bem a cola, é processado e impregnado com anti-sépticos.

As cinzas são muito mais densas que o carvalho. O parquete feito com este material tem uma tonalidade clara e uma textura boa e transparente. A madeira de freixo forte e viscosa dobra-se bem, não racha, deforma um pouco. O material é durável, quase não apodrece, mas é mal processado.

Bétula branca com matizes avermelhados ou amarelados. A madeira é moderadamente dura, bem processada e possui densidade bastante uniforme. O vidoeiro facilmente se presta à imitação de espécies valiosas, é bem colorido, polido e impregnado de anti-sépticos.

O bambu é fornecido ao mercado na forma de pranchas de parquete prensadas feitas de uma tira fina impregnada com um composto especial. Esse parquete não se presta a raspar, mas em termos de resistência à abrasão supera até o carvalho. Como regra, o piso de bambu simplesmente se desgasta após um período de garantia de 5 anos. Um agradável tom âmbar de bambu irá decorar e complementar qualquer interior.

Mais sobre as espécies de madeira

A principal vantagem do piso de parquete é o fato de que o parquete é feito de madeira natural – um material ecologicamente correto e inofensivo. Se instalado corretamente, o piso de parquet oferece higiene, resistência ao calor, nenhum ruído ao caminhar, baixa condutividade sonora, durabilidade e alta resistência a impactos. Atualmente, para a construção de pisos de parquete, utilizam-se placas de parquete, parquete de bloco, parquete laminado e parquete artístico..

PARQUETE DE PEÇA

O parquet de blocos é uma prancha homogênea de espécies valiosas de madeira dos mais altos graus de madeira. As pranchas têm uma ranhura e uma saliência nas bordas e extremidades para conexão entre si. Requisitos especiais são impostos no lado externo superior da placa – arranhões, rachaduras, nós não são permitidos nela. A precisão da fabricação dos sulcos e das placas determina a qualidade da superfície de alvenaria do parquete. Se as saliências e ranhuras não forem feitas com a qualidade adequada, isso exigirá um esforço considerável no acabamento do piso – raspagem e lixamento após o assentamento do parquet.

As venezianas são divididas em 2 tipos:

1. P1 – tiras com cristas e ranhuras em bordas e extremidades opostas.

Bloco de parquete

Bloco de parquete

2. P2 – tiras com uma crista em uma borda e ranhuras na outra borda e extremidades.

Bloco de parqueteBloco de parquete

As pranchas do tipo P1 são produzidas em pares: com estrias direita e esquerda.
Comprimento das ripas (L) 150-500 mm. com gradação de 50 mm
Largura (b) 30-70 mm.

O mais popular hoje é o parquet de 70 mm de largura com os comprimentos (múltiplos) correspondentes de 280, 350, 420, 490 mm. A camada de desgaste desse parquete é aumentada para 8 mm (o parquete é produzido na linha tecnológica alemã Shroeder).

A espessura das pranchas (S) é de 14 mm a 22 mm (as mais populares são 15 mm e 22 mm). Com as dimensões especificadas da peça de parquete, o revestimento tem igual resistência tanto no meio das pranchas quanto nos locais onde estão conectadas. Acima da ranhura e do cume está o desgaste (S1), que é desgastado durante o uso do piso. A espessura desta camada para madeira dura é de 7 mm para parquete de 15 mm e 13 mm para parquete de 22 mm. O parquete competente e bem colocado tem uma bela aparência e, com os devidos cuidados, pode servir sem substituição por várias décadas.

TERMOS E EXPLICAÇÕES

Prancha de Parquet – parte de madeira maciça com tábuas fresadas mutuamente paralelas e bordas perfiladas, com as quais é conectada às mesmas tábuas adjacentes ao instalar o piso de parquete.
Crista – parte saliente da prancha de parquet, que serve para se conectar com as pranchas adjacentes durante a instalação.
Sulco – um entalhe nas bordas laterais e finais da tira de parquete, que inclui uma saliência para conectar com uma tira adjacente.
Camada de desgaste – a camada superior de uma prancha de parquet da face até o topo do cume ou sulco, cujo desgaste determina a vida útil do piso de parquet.
Parte inferior – parte da espessura da prancha de parquet da parte traseira até a borda inferior do cume ou ranhura.
Lado frontal da tábua de parquete – superfície externa da camada de desgaste da prancha de parquet.
Verso da placa de parquete – superfície oposta a face.
Tábua de parquet direita – faixa de parquete, na qual, quando vista de frente, a crista final fica à direita e a crista na borda fica do lado do observador.
Tábua de parquet à esquerda – uma faixa de parquete, na qual, vista de frente, a crista da extremidade fica à esquerda e a crista da borda fica do lado do observador.

Avalie este artigo
( Ainda sem avaliações )
Adicione comentários

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: