Base do-it-yourself em uma casa particular

Seu pr√≥prio loop de aterramento √© a marca registrada de um sistema de fonte de alimenta√ß√£o de alta qualidade realmente pensado. Seu dispositivo √© muito primitivo, enquanto seus benef√≠cios pr√°ticos s√£o inestim√°veis. A instala√ß√£o do tipo “fa√ßa voc√™ mesmo” n√£o leva muito tempo e a correta execu√ß√£o do circuito garante seu funcionamento a longo prazo sem problemas.

Base do-it-yourself em uma casa particular

Escolher onde colocar o contorno

Para determinar um local adequado para colocar os eletrodos de aterramento, voc√™ precisa passar por um procedimento chamado coordena√ß√£o de linhas de servi√ßos p√ļblicos. Como o comprimento dos eletrodos, via de regra, √© maior que a profundidade de ocorr√™ncia das linhas de transmiss√£o, comunica√ß√Ķes e dutos, o risco de danos a eles √© absolutamente real quando se trabalha na cidade. Portanto, primeiro familiarize-se com os planos de implanta√ß√£o de rotas de comunica√ß√£o, uma solicita√ß√£o pode ser deixada na prefeitura local.

Escolhendo um lugar para o loop de solo

Pode haver poucos custos de caixa envolvidos, mas quase nunca √© necess√°rio obter um pedido de terraplenagem. Um ponto interessante est√° relacionado com a aprova√ß√£o: voc√™ se isenta da responsabilidade por danos √† linha se ela n√£o estiver no cadastro de concession√°rias subterr√Ęneas. Al√©m disso, mesmo que as rotas subterr√Ęneas j√° tenham sido estabelecidas em um local ideal, voc√™ pode facilmente contorn√°-las usando os valores especificados das zonas de prote√ß√£o e pontos de ancoragem. Para empresas, √© recomendado arquivar c√≥pias certificadas dos planos.

Ao posicionar o contorno, preste aten√ß√£o aos par√Ęmetros do solo. Os detentores do relat√≥rio sobre a geomorfologia da √°rea s√£o recomendados para colocar os eletrodos de aterramento principais no ponto mais baixo poss√≠vel do aquiclude superior saturado com umidade. Locais sombreados tamb√©m s√£o preferidos, perto de fossos de drenagem ou po√ßos de drenagem, em valas de drenagem. √Āgua com √≠ons de sal dissolvidos (em quantidades moderadas) confere boa condutividade aos solos, mesmo nas categorias em que est√° completamente ausente quando secam..

Escolhendo um lugar para o loop de solo

Outro critério para avaliar a área é a relação entre o nível do lençol freático e a profundidade de imersão dos eletrodos principais de aterramento. Se for possível organizar um contorno na parte inferior de um porão ou poço de visualização, é melhor usá-lo. A exceção são as áreas saturadas com líquidos agressivos: fossas sépticas, fossas de drenagem e compostagem. Você também deve evitar a proximidade de árvores que absorvem água ativamente, como bétulas ou salgueiros..

Resistividade do solo e c√°lculo de eletrodos

A transferência de potencial elétrico para a litosfera ocorre de toda a superfície dos eletrodos de metal por meio de partículas de solo metalizadas e da umidade contida no solo. Tudo deve ser levado em consideração: desde a rugosidade da superfície do metal até a porosidade do solo e a densidade de plantio dos eletrodos de aterramento de aço nele..

Barra de aterramento no escudo

O perfil geomorfol√≥gico e a tabela de resistividade do solo s√£o tomados como base para o c√°lculo da resist√™ncia √† propaga√ß√£o de corrente pelos eletrodos principais de aterramento. Recomenda-se a utiliza√ß√£o do manual “Normas para a constru√ß√£o de redes de aterramento” da R.N. Karjakin, onde h√° informa√ß√Ķes abrangentes para calcular os par√Ęmetros necess√°rios e tamb√©m descreve a t√©cnica de uso de condutores de aterramento naturais (revestimento de po√ßos, pilhas ou dutos).

Na realidade, raramente √© realizado um c√°lculo detalhado, normalmente os dados iniciais s√£o considerados os piores poss√≠veis para condi√ß√Ķes espec√≠ficas de coloca√ß√£o. As caracter√≠sticas necess√°rias s√£o obtidas aumentando o comprimento dos eletrodos (o que √© mais prefer√≠vel) ou o seu n√ļmero. A margem de seguran√ßa garante uma longa vida √ļtil do circuito: quando cobertos com ferrugem, os eletrodos perdem muito na condutividade, ent√£o novos s√£o periodicamente acabados neles.

Loop de aterramento doméstico

O c√°lculo come√ßa com a se√ß√£o permiss√≠vel dos elementos do sistema de aterramento, sua condutividade deve corresponder √† pot√™ncia da liga√ß√£o el√©trica do sistema a ser aterrado. Na maioria dos casos, perfis de a√ßo carbono s√£o usados, sua se√ß√£o transversal n√£o deve ser inferior a 80 mm2. Para a√ßo inoxid√°vel, este n√ļmero √© 60-70 mm2. A se√ß√£o transversal √© deliberadamente superestimada para compensar o efeito corrosivo do solo.

A segunda quest√£o √© a √°rea de superf√≠cie total. A√ßo angular, vigas T ou vigas I devem ser usados ‚Äč‚Äčcomo os principais condutores de aterramento – produtos com uma se√ß√£o transversal aberta que est√£o em contato com o solo por todos os lados. A resist√™ncia de um √ļnico eletrodo de aterramento ou de sua se√ß√£o √© definida como a resist√™ncia espec√≠fica do solo circundante, dividida por? – valor m√ļltiplo da dimens√£o linear principal (para uma haste vertical, este √© o seu comprimento).

Cantos de aço carbono

O resultado deve ser multiplicado pelo fator de forma adimensional (para uma haste vertical, isso √© metade do logaritmo natural de quatro vezes o comprimento, dividido pelo per√≠metro da se√ß√£o). Por exemplo, um eletrodo vertical de 2,5 metros de comprimento feito de √Ęngulo de a√ßo 50×50 mm, o coeficiente ser√° de quase 1,25, a resist√™ncia de propaga√ß√£o (quando os eletrodos de aterramento est√£o completamente embutidos em argila) ser√° de 8,3 ohms.

A resistência total dos eletrodos de aterramento verticais é descrita como a soma de seus valores recíprocos:

  • 1 / R = 1 / R1 + 1 / R2 + … + 1 / Rn

Assim, para atingir o valor padr√£o de 4-6 ohms, ser√£o necess√°rios pelo menos dois eletrodos de 2,5 metros cada, por analogia, voc√™ pode calcular op√ß√Ķes com outro n√ļmero adequado ou comprimento de eletrodos de aterramento.

Como martelar rapidamente os eletrodos de aterramento principais

Quando os c√°lculos necess√°rios forem conclu√≠dos, √© a vez da instala√ß√£o. √Ä primeira vista, a tarefa trivial de cravar eletrodos no solo pode se transformar em metal laminado danificado simplesmente devido √† ignor√Ęncia da mec√Ęnica do processo.

O solo a mais de um metro de profundidade √© bastante denso e est√° sob press√£o. O solo comprime a barra de a√ßo fortemente, enquanto as for√ßas de atrito impedem a imers√£o e aumentam com a √°rea de contato a cada impacto. O inc√īmodo √© adicionado pelos fragmentos de rocha s√≥lida encontrados no caminho, √†s vezes √© mais s√°bio retirar o eletrodo e conduzi-lo em um novo lugar.

Instalação de eletrodos de aterramento

As chaves de aterramento devem ser devidamente afiadas antes de dirigir. O √Ęngulo de chanfro total da ponta deve ser da ordem de 30‚Äď35? Da borda da ponta √© necess√°rio recuar cerca de 40 mm e reduzir a descida para um √Ęngulo mais obtuso, cerca de 45-50? Tavr, I-beam e canal podem ter v√°rias descidas, √© recomendado afiar hastes de at√© 24 mm forjando com t√™mpera lenta.

Eletrodos de aterramento dos cantos

Antes de conduzir os eletrodos, eles devem ser removidos uns dos outros em pelo menos 230 cm, mais de dois (N) eletrodos de aterramento verticais são colocados no topo de um N-gon equilateral. Sob cada eletrodo, você precisa cavar ou perfurar um orifício de 35-50 cm de profundidade para que o corpo principal do condutor fique o mais profundo possível. A perfuração de furos em profundidade total não é recomendada. Os poços escavados são interligados por trincheiras, ao longo das quais ficará oculta a amarração dos eletrodos..

Instalação do loop de aterramento

O melhor √© martelar barras de a√ßo manualmente, com uma marreta de cerca de 7 a 10 kg. Sim, o mergulho vibrat√≥rio funciona melhor, mas o equipamento n√£o √© f√°cil de obter e n√£o pode ser usado em todos os lugares. O principal problema ao martelar √© a deforma√ß√£o da haste devido a golpes frequentes, ent√£o voc√™ precisa bater em um cabe√ßote de formato especial que √© colocado em cima do eletrodo e n√£o permite que ele entorte ou respingue excessivamente. Voc√™ tamb√©m pode aparar periodicamente a borda do eletrodo com a rebarbadora √† medida que ela se achata, ou despeje √°gua no po√ßo em pequenas por√ß√Ķes.

Contorno de liga√ß√£o, condutor de √īnibus

Os eletrodos verticais devem estar completamente sob uma camada de solo de pelo menos 20-30 cm, no mesmo n√≠vel todos os eletrodos de aterramento horizontais est√£o localizados. Para o feixe, √© utilizada uma tira de a√ßo de 4×40 mm ou mais, colocada na borda. √Č conectado aos eletrodos por soldagem a arco, o comprimento total da costura deve ser de pelo menos metade do per√≠metro da se√ß√£o.

Fazendo um loop de solo

Laço de solo para uma casa particular

A partir do contorno, o restante da faixa √© colocado sob o solo at√© a parede do pr√©dio com o ASP. Para n√£o destruir a √°rea cega da funda√ß√£o, a tira pode ser colocada em cima dela, fixada com buchas de montagem r√°pida, ou voc√™ pode fazer um t√ļnel e passar por um orif√≠cio ondulado. O barramento de aterramento deve ser fixado a uma estrutura estacion√°ria em pelo menos dois pontos, um parafuso M10 com duas arruelas e uma porca soldada na extremidade.

Laço de solo para uma casa particular

A instalação do circuito é finalizada aplicando-se uma camada protetora nos pontos de soldagem, podendo ser tinta ou betume comum. Depois que os condutores de aterramento forem cobertos com solo, cuidadosamente batendo.

Verificando os par√Ęmetros padr√£o, manuten√ß√£o do circuito

Um fio de cobre de fio √ļnico (PV-1) com uma se√ß√£o transversal de pelo menos 6 mm √© preso sob o parafuso no terminal de barramento2. Ele segue como o principal condutor de prote√ß√£o para a ASU e, em seguida, √© dividido em todo o sistema de aterramento para cada consumidor de eletricidade que precisa equalizar os potenciais.

Ligação à terra

Normalmente, a resist√™ncia das linhas do sistema de aterramento √© considerada para atender o padr√£o quando usado em ramos de fio de cobre de 2,5 mm2, bem como barra ou tira de a√ßo com se√ß√£o transversal de 50 mm2. O sistema de aterramento geralmente n√£o fornece interrup√ß√Ķes durante a ramifica√ß√£o, a resist√™ncia total entre a ASU e o ponto mais distante deve estar na regi√£o de 4-6 ohms.

Medindo a resistência da terra

A propaga√ß√£o da corrente ao longo dos eletrodos de aterramento principais √© verificada por meio de um meg√īhmetro de aterramento: ele mede a resist√™ncia entre as partes met√°licas do sistema de aterramento e eletrodos provis√≥rios cravados no solo a 50 cm a 15 e 20 metros do circuito. Os resultados das medi√ß√Ķes servem de base para a assinatura das condi√ß√Ķes t√©cnicas e admiss√£o da rede el√©trica √† opera√ß√£o.

Medindo a resistência da terra Medição da resistência de aterramento: 1 Рmedidor de resistência de aterramento; 2 Рloop de terra; 3 Рeletrodos temporários

O loop de aterramento n√£o requer manuten√ß√£o como tal. Basta excluir a realiza√ß√£o de terraplenagens no seu local e garantir que o solo n√£o seca. Voc√™ tamb√©m deve excluir a entrada de l√≠quidos agressivos no solo. Essa observa√ß√£o se deve ao fato de que muitas vezes antes das medi√ß√Ķes peri√≥dicas (e padronizadas de PUE e PEEE) de resist√™ncia, o solo √© regado, por exemplo, com uma solu√ß√£o de cloreto de s√≥dio. Isso melhora temporariamente a condutividade do solo e, como resultado, a resist√™ncia √† propaga√ß√£o √© reduzida. Mas nessas condi√ß√Ķes, o circuito existir√° fisicamente por apenas 1,5-2 anos.

Avalie este artigo
( Ainda sem avalia√ß√Ķes )
Adicione coment√°rios

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: