Álcool durante a gravidez – é possível beber, o efeito no embrião e os efeitos das libações

Os jovens bebem regularmente álcool, alguns em quantidades limitadas, outros até sofrem de alcoolismo. Álcool durante a gravidez nos estágios iniciais e nas últimas semanas é estritamente proibido, esta é a primeira coisa que deve ser abandonada para a futura mãe. A influência do álcool etílico na composição da bebida tem um efeito tangível no desenvolvimento do feto, leva a patologias incorrigíveis, afeta adversamente muitos sistemas corporais de uma mulher grávida.

Como o álcool afeta a gravidez

As mães jovens costumam ter um dilema: as mulheres grávidas podem beber? Qualquer médico dirá que é proibido em qualquer estágio da gravidez e mesmo antes da própria concepção, se você planejar. Recomenda-se o abandono do álcool a ambos os pais, a fim de excluir um efeito prejudicial ao feto. A seguir, são apresentadas descrições específicas de exemplos de como o álcool afeta a gravidez. O efeito prejudicial do álcool se estende à mãe e ao feto. Isso leva às patologias mentais e fisiológicas da criança. perturbação dos sistemas internos de uma mulher.

O dano do álcool

Vários estudos estão sendo realizados constantemente, revelando a relação entre as deficiências físicas e mentais do bebê com álcool. Álcool e gravidez são coisas mutuamente exclusivas que sempre levam a consequências negativas; elas podem ocorrer imediatamente ou ao longo do tempo. O álcool e seus produtos apodrecidos entopem o sistema vascular, fazem o fígado, os rins e outros órgãos internos da pessoa trabalharem por desgaste. O dano está associado à sua capacidade de ser absorvido pelas paredes do intestino, estômago e corrente sanguínea.

O grau de exposição depende do estágio da alcoolização – este é o período de tempo em que o álcool foi consumido e a intensidade de sua ingestão. Quando usado regularmente em quantidades não controladas, leva a rápidas alterações patológicas nas mulheres. Um efeito negativo em uma criança chamada ASP (síndrome alcoólica fetal) se espalha ainda mais rápido. Abaixo está uma pequena lista dos efeitos do álcool em um adulto:

  • obesidade;
  • derrame;
  • demência;
  • hidrocefalia;
  • úlcera intestinal, estômago;
  • cirrose do fígado;
  • impotência (em homens).

Vinho - opiniões diferentes

Efeito no feto

Se o próprio adulto conscientemente faz uma escolha, o efeito do álcool na criança não depende de seu desejo. O álcool durante a gravidez é um crime por parte da mãe em relação ao bebê. Os desvios que ocorrem durante o desenvolvimento fetal, se a futura mãe for alcoólatra, são chamados TSA. Este termo indica a presença de muitas violações, indicando a influência do álcool no desenvolvimento fetal. Eles criam problemas na vida (deformidades físicas, retardo mental).

Uma anomalia grave é desenvolvida devido ao abuso de álcool durante a gravidez – patologia da estrutura da face, desaceleração do desenvolvimento físico, crescimento e baixo peso ao nascer. Essas crianças são difíceis de aprender, geralmente sofrem de problemas neurológicos e comportamentais. O principal problema é que a síndrome do álcool não pode ser curada, o que significa que todos os sintomas acima permanecerão com a criança para sempre.

Com o uso constante de álcool por uma mulher durante a gravidez, pode ocorrer um aborto espontâneo e o nascimento prematuro (natimortos ou bebê prematuro) pode começar. O efeito em cada pessoa é diferente, por exemplo, um copo para um homem é a norma para uma mulher – demais, causando intoxicação. É altamente recomendável que uma futura mãe, durante a gravidez, compre medicamentos frios com cautela, porque alguns incluem álcool (às vezes até 25%).

Nos primeiros dias

Acredita-se que, a princípio, o álcool não prejudique o bebê. O álcool na primeira semana de gravidez supostamente não pode chegar ao feto, porque a placenta não é formada, a criança não recebe comida da mãe. Esta afirmação não é completamente verdadeira, porque uma pequena quantidade de álcool que entrou na corrente sanguínea pode impedir que as células se fixem no útero, o que interromperá a tão esperada gravidez. Os médicos recomendam fortemente casais que têm problemas em conceber abandonar o álcool muito antes de tentar engravidar.

O álcool nos estágios iniciais da gravidez é extremamente perigoso, mesmo quando o embrião está consertado. Isso leva a graves consequências no desenvolvimento do feto, que causam retardo mental no desenvolvimento, deformidades fisiológicas. Para uma criança, esse estágio é difícil, perigoso e importante, portanto, é impossível expô-lo a riscos adicionais. Muitos estudos confirmam que a síndrome do álcool se desenvolve mesmo com 3-4 pequenas doses de álcool. Se você usar 2 vezes ao dia, o risco será reduzido. Você precisa limitar não a quantidade, precisa parar completamente de beber.

Nas primeiras semanas

Primeiro, a célula fertilizada se move ao longo da trompa de Falópio em direção ao próprio útero. O ovo é dividido ativamente, entra na cavidade em um estado de acúmulo solto. O álcool nas primeiras semanas de gravidez pode causar danos irreparáveis ​​às células, levando à morte de um ovo. Você pode entender o processo de desenvolvimento fetal e o efeito do álcool durante a gravidez se considerar todas as etapas:

  1. O esperma mais ativo fertiliza o óvulo e a célula se move para o útero.
  2. Existe um endométrio pronto para implantação. Através dele, o ovo cresce na membrana uterina, continua a se dividir.
  3. Nesta fase, parte das células cria uma membrana felpuda chamada “cório”, que então se torna a placenta.
  4. O álcool que entrou no corpo pode penetrar no útero e prejudicar o óvulo, o que às vezes provoca abortos nas primeiras semanas de gravidez.

bebida alcoólica

Em termos tardios

Beber regularmente durante a gravidez leva ao desenvolvimento de embrião-fetopatia no bebê. Crianças com desvios têm problemas com o reflexo da deglutição, recusam-se a mamar. As mulheres são fortemente aconselhadas a abster-se de todos os tipos de bebidas alcoólicas em qualquer quantidade (mesmo pequenas) durante o período gestacional. A probabilidade de desenvolver defeitos é de cerca de 50%. O álcool durante a gravidez nas fases posteriores pode causar:

  1. Desenvolvimento anormal do aparelho geniturinário, abertura anal.
  2. Defeitos do sistema cardiovascular.
  3. Violação do desenvolvimento dos membros superiores e inferiores.
  4. Hipoplasia, falta de dedos.
  5. Anomalias patológicas no desenvolvimento da unha, displasia articular.
  6. Retardo de crescimento intra-uterino: hipóxia (falta de oxigênio), baixo peso.
  7. Defeitos craniofaciais: ponte nasal larga e plana, olhos estreitos, testa baixa – tudo isso é consequência do consumo de álcool durante a gravidez.
  8. Embriões femininos nos estágios finais da gravidez sob a influência do álcool formam a embriofetopatia alcoólica.
  9. Nas crianças, manifesta-se um processo de adaptação perturbado, mecanismos compensatórios ausentes ou mal desenvolvidos, o que leva a hipoglicemia e excitabilidade grave.

Nas últimas semanas

Antes do termo do trabalho de parto, o álcool é ainda mais perigoso do que antes. O álcool nas últimas semanas de gravidez chega ao feto pela placenta. O álcool é a substância tóxica mais perigosa de todas as que levam a um comprometimento físico e mental do desenvolvimento de uma criança. É absorvido pela corrente sanguínea, atravessa a barreira placentária sem problemas..

O álcool etílico e seus produtos deteriorados são prejudiciais ao bebê. O álcool afeta negativamente as células dos tecidos, órgãos do feto e causa danos irreparáveis ​​ao sistema nervoso, especialmente ao cérebro. Há uma violação do fundo hormonal, metabolismo, a quantidade de vitaminas é reduzida. No caso de alcoolismo crônico durante a gravidez, o risco de ter um bebê com defeitos, as anomalias aumentam significativamente, por exemplo:

  • anormalidades no desenvolvimento dos membros;
  • ganho de peso fraco, desenvolvimento mental retardado (oligofrenia);
  • danos ao sistema cardiovascular;
  • defeitos craniofaciais.

Vinho

Opiniões de pessoas e especialistas divergem sobre esta bebida, alguns argumentam que, nos últimos estágios, o vinho em quantidades muito pequenas pode afetar positivamente a formação do feto. Qualquer álcool é sempre prejudicial em grandes quantidades, e mesmo os médicos mais avançados recomendam que os pais e a futura mãe evitem beber antes da concepção.

Todos os especialistas argumentam inequivocamente que o vinho é estritamente proibido nos primeiros estágios da gestação. Durante esse período, as formas do feto e o álcool podem afetar bastante esse processo, o álcool tem um efeito teratogênico, penetra sem impedimentos nos órgãos e tecidos do bebê. Os médicos dizem que, mais tarde, o vinho tinto é aceitável para as mulheres grávidas beberem, a bebida aumenta a quantidade de hemoglobina no feto.

Néctar de uva

Nos estágios iniciais

A princípio, a placenta ainda não é capaz de proteger a criança dos efeitos nocivos externos. No caso do álcool, mesmo uma barreira totalmente formada não se torna um obstáculo sério. O vinho nos estágios iniciais tem o mesmo efeito teratogênico que qualquer outro álcool. Cada estágio da formação do feto é muito importante e os pais são totalmente responsáveis ​​pelo que lhes acontece..

Se uma menina bebeu vinho, sem saber que a fertilização de um ovo já havia ocorrido, poderia haver apenas duas opções para o desenvolvimento de eventos: o embrião não se formará e você não saberá da concepção ou o álcool não o afetará e o desenvolvimento continuará. O principal é parar de beber imediatamente depois de descobrir que está esperando um bebê, caso contrário, o álcool agirá sobre a criança como veneno. Ignorar a proibição do álcool leva à feiura do bebê por nascer.

No 2º trimestre

A principal ênfase dos apoiadores desta bebida está em algumas propriedades benéficas. O vinho no 2º trimestre pode ajudar a gestante a aumentar o nível de hemoglobina, este é um ponto importante, uma vez que muitas mulheres desenvolvem anemia. O vinho tinto promove melhor função do estômago, aumenta o apetite, melhora a função intestinal e desintoxica. Tudo isso importaria se não fosse o teor alcoólico da bebida, que representa uma séria ameaça ao feto nesta fase, o que pode causar desvios no desenvolvimento físico e mental..

No terceiro trimestre

Alguns médicos afirmam que a essa altura todos os processos importantes para o bebê já passaram e o risco de interromper seu curso é mínimo. O vinho no terceiro trimestre é permitido, mas é muito importante considerar a qualidade e a quantidade da bebida. É importante que todas as propriedades benéficas desta bebida apareçam apenas com uso moderado; essa recomendação é relevante não apenas durante a gestação, mas também em condições normais.

Se você não conseguir resistir ao seu desejo de beber álcool, não mais que 2 vezes por semana, você pode beber até 100 ml de vinho tinto. Deve-se lembrar separadamente que esse álcool é estritamente proibido para úlceras estomacais, cirrose hepática, isquemia cardíaca e pancreatite. Não recomende beber vinho se estiver deprimido; em alguns casos, a bebida provoca depressão.

Menina está bebendo

Cerveja

Esta é outra bebida popular, que devido ao seu baixo teor de álcool é considerada não muito perigosa. A cerveja carrega o mesmo perigo para o feto que outro álcool. O álcool passa rapidamente pela placenta para o feto, afeta os tecidos, órgãos e sistema nervoso da criança. Quando usados, os seguintes desvios geralmente se desenvolvem em uma criança:

  • deformidades externas, defeitos: fenda palatina, fenda labial;
  • patologias vasculares, cardíacas;
  • atraso intra-uterino em crescimento, desenvolvimento;
  • deformidade do membro;
  • displasia pós-parto.

O uso frequente de cerveja afeta a saúde e o crescimento do feto, muitas vezes os médicos observam a síndrome do álcool em bebês. Esta doença não é tratável e causa problemas com a saúde do bebê: o crânio (microcefalia) não se desenvolve, baixa estatura, peso. As funções de adaptação também são prejudicadas, elas gritam constantemente, não dormem, se preocupam e, devido à violação dos reflexos de apreensão, não é possível amamentar a criança. A síndrome do álcool na idade pré-escolar manifesta-se pelos seguintes sintomas:

  • estrabismo;
  • arcos zigomáticos subdesenvolvidos;
  • nuca achatada;
  • mandíbula inferior subdesenvolvida;
  • fissura palpebral curta;
  • fenda palatina;
  • lábio superior estreito e curto;
  • dobra nasolabial lisa.

Durante a gravidez, o uso de bebidas com baixo teor alcoólico leva ao nascimento de uma criança com insuficiência renal, cardiopatias. Qualquer álcool, incluindo cerveja, prejudica o bebê, provoca deformidade física, distúrbios mentais. Nos estágios iniciais da gravidez, o abuso dessa bebida com baixo teor de álcool leva a abortos espontâneos, descolamento de placenta. A cerveja tem um efeito diurético, portanto, uma carga adicional é criada no sistema renal, que já funciona no modo avançado..

Não alcoólico

Mães jovens têm o equívoco errôneo de que esta versão da bebida não representa um perigo para o feto devido à falta de álcool na composição. A cerveja não alcoólica tem um fator de impacto negativo diferente. A bebida passa por um processo de fermentação, portanto, em pequena quantidade, o álcool ainda permanece. A cerveja não alcoólica tem suas próprias características de preparação para obter um tom, o sabor da cerveja comum é colocado em aditivos especiais, corantes em grandes quantidades. Estes são agentes cancerígenos, conservantes que podem prejudicar significativamente uma criança..

Beber uma bebida não leva à destruição de 100% da saúde do feto, em alguns casos, as mães, quando bebem álcool, carregam crianças bastante saudáveis. Diz apenas que eles tiveram sorte neste caso. Se você realmente quer uma cerveja, é permitido beber 100 ml dessa bebida uma vez por semana. Certifique-se de escolher uma marca que consiste apenas em produtos naturais de alta qualidade.

Com uma garrafa de cerveja

Nos estágios iniciais

Às vezes, uma garota continua bebendo, sem suspeitar que ela já esteja grávida. Nesta fase, o óvulo fertilizado está apenas tentando ganhar uma posição no útero, o álcool pode interferir bastante nesse processo, o que leva a um aborto espontâneo. A cerveja nos estágios iniciais deve parar de beber imediatamente, quando se tornou conhecido sobre a situação. Com o uso continuado de álcool, existe o risco de descolamento da placenta, comprometimento do desenvolvimento fetal.

No primeiro trimestre, ocorre a formação intra-uterina dos órgãos internos do bebê. Com o ultra-som, já é possível determinar a freqüência cardíaca fetal. O álcool nesta fase da gravidez pode atrapalhar a formação dos sistemas de um novo organismo. O primeiro trimestre determina a saúde futura do bebê, quão bom o sistema circulatório, órgãos internos funcionará. O álcool da cerveja rapidamente e sem obstáculos penetra na placenta, causa hipóxia e leva a problemas respiratórios, desenvolvimento do cérebro.

Avalie este artigo
( Ainda sem avaliações )
Adicione comentários

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: