Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre

Preparamos para você uma visão geral dos principais esquemas de aquecimento para residências particulares, características comparativas, vantagens e desvantagens de cada sistema. Considere os sistemas gravitacionais e forçados para mover o refrigerante, diagramas de fiação de um e dois tubos, incorporando pisos quentes no sistema de aquecimento.

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre

Os esquemas do sistema de aquecimento são muito diversos. Além disso, a escolha de um deles deve ser feita com base no projeto e tamanho da casa, na quantidade de elementos de aquecimento, dependendo da fonte de alimentação.

Sistemas que diferem na forma de circulação

Em um sistema com circulação natural, o movimento do refrigerante é baseado na ação da gravidade, portanto também são chamados de gravitacionais ou gravidade. A densidade da água quente é menor, e ela sobe, deslocada pela água fria que entra na caldeira, é aquecida e o ciclo se repete. Circulação forçada Рem sistemas que usam equipamento de injeção.

Sistema de gravidade

O sistema de gravidade não sai mais barato, como os desenvolvedores esperam. Pelo contrário, via de regra, custa 2 ou até 3 vezes mais que o forçado. Este arranjo requer tubos maiores. Para o seu funcionamento são necessários declives, e para que a caldeira fique abaixo dos radiadores, ou seja, é necessária a instalação em fossa ou cave. E mesmo com a operação normal do sistema no segundo andar, as baterias estão sempre mais quentes do que no primeiro. Para equilibrar esse viés, são necessárias medidas que tornam o sistema muito mais caro:

  • dispositivo de bypass (material adicional e soldagem);
  • balanceamento de guindastes no segundo andar.

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre

Para um edif√≠cio com tr√™s andares, este sistema √© pouco adequado. O movimento do refrigerante √© “pregui√ßoso”, como dizem os mestres. Para uma casa de dois andares, funciona quando o segundo andar est√° cheio, igual ao primeiro, al√©m do s√≥t√£o. No s√≥t√£o √© instalado um tanque de expans√£o, para o qual √© alimentado o riser principal, de prefer√™ncia estritamente vertical, a partir da caldeira instalada em fossa profunda ou na cave. Se em alguns lugares for necess√°rio dobrar o riser, isso prejudica o trabalho da gravidade.

A partir do riser principal, são colocados dutos horizontais (espreguiçadeiras) com um declive, de onde descem os risers, entrando na linha de retorno, que retorna à caldeira.

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre Aquecimento por gravidade: 1 Рcaldeira; 2 Рtanque de expansão; 3 Рdeclive de alimentação; 4 Рradiadores; 5 Рdeclive de retorno

Os sistemas de gravidade são bons em edifícios como uma cabana russa e em chalés modernos de um andar. Embora o custo do sistema seja mais caro, mas não depende da disponibilidade de fontes de alimentação.

Quando a casa está no sótão, a instalação de um tanque de expansão causa um problema de colocação Рtem que ser montado diretamente na sala. Se a casa não viver permanentemente, o refrigerante não é água, mas um líquido anticongelante, cujos vapores cairão diretamente na sala de estar. Para evitar isso, você pode mover o tanque para o telhado, o que acarretará despesas adicionais, ou é necessário fechar bem a parte superior do tanque e conduzir o tubo de saída do gás da tampa para fora da sala.

Sistema forçado

O sistema de circula√ß√£o for√ßada se diferencia pela presen√ßa de equipamentos de bombeamento, e hoje est√° muito difundido. Entre as desvantagens do m√©todo, √© poss√≠vel notar a depend√™ncia do fornecimento de energia, que se resolve com a compra de um gerador para alimenta√ß√£o aut√īnoma quando a rede √© desconectada. Das vantagens, deve-se notar que √© mais ajust√°vel, confi√°vel e a possibilidade, em alguns casos, de economizar dinheiro na organiza√ß√£o do aquecimento.

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre Conexão da bomba: 1 Рcaldeira; 2 Рfiltro; 3 Рbomba de circulação; 4 Рtorneiras

V√°rios esquemas de conex√£o para sistemas de aquecimento de press√£o

Existem v√°rios esquemas de conex√£o para sistemas de circula√ß√£o for√ßada. Considere as vantagens, desvantagens e recomenda√ß√Ķes dos mestres para a escolha de um esquema para v√°rias estruturas e sistemas.

Sistema de um tubo (“Leningradka”)

O chamado Leningradka é difícil de calcular e difícil de executar.

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre Sistema de aquecimento por pressão One-pipe: 1 Рcaldeira; 2 Рgrupo de segurança; 3 Рradiadores; 4 Рválvula de agulha; 5 Рtanque de expansão; 6 Рdreno; 7 Рabastecimento de água; 8 Рfiltro; 9 Рbomba; 10 Рválvulas de esfera

Com tal sistema, o enchimento do radiador diminui, o que reduz a velocidade de movimento do meio na bateria e aumenta a diferen√ßa de temperatura para 20 ¬į C (a √°gua tem tempo para resfriar fortemente). Com a instala√ß√£o sequencial de radiadores em um circuito de um tubo, h√° uma grande diferen√ßa na temperatura do refrigerante entre o primeiro e todos os radiadores subsequentes. Se houver 10 ou mais baterias no sistema, a √°gua resfriada a 40‚Äď45 ¬į C entra na bateria mais externa. Para compensar a falta de dissipa√ß√£o de calor, todos os radiadores, exceto o primeiro, devem ter uma grande √°rea de transfer√™ncia de calor. Ou seja, se aceitarmos o primeiro radiador como padr√£o de 100% de pot√™ncia, ent√£o a √°rea dos subsequentes deve ser maior em 10%, 15%, 20%, etc., para compensar o resfriamento do refrigerante. √Č dif√≠cil prever e calcular a √°rea necess√°ria sem experi√™ncia na execu√ß√£o desse trabalho, e levando, em √ļltima inst√Ęncia, a um aumento no custo do sistema.

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre

No cl√°ssico “Leningradka”, os radiadores s√£o conectados a partir do tubo principal O desvio de 40 mm O 16 mm. Neste caso, o refrigerante ap√≥s o radiador retorna para a linha. Um grande erro n√£o √© conectar os radiadores em tr√Ęnsito, mas diretamente do radiador para o radiador. Esta √© a forma mais barata de montar um sistema de tubula√ß√£o: tubos e conex√Ķes curtas, 2 pe√ßas por bateria. No entanto, com tal sistema, metade dos radiadores mal aquece e n√£o fornece transfer√™ncia de calor suficiente. Motivo: n√£o h√° mistura do refrigerante ap√≥s o radiador com a tubula√ß√£o principal. Sa√≠da: aumentar a √°rea (significativa) dos radiadores e instalar uma bomba potente.

Os mestres recomendam o uso de um sistema de um tubo se n√£o houver mais de 5 radiadores no circuito.

Diagrama de fiação de aquecimento do coletor de dois tubos (feixe)

√Č um pente de onde se estendem dois tubos para cada radiador. √Č aconselh√°vel instalar o pente a uma dist√Ęncia equidistante de todos os radiadores, no centro da casa. Caso contr√°rio, com uma diferen√ßa significativa no comprimento dos tubos para as baterias, ocorrer√° um desequil√≠brio do sistema. Isso exigir√° balanceamento (ajuste) com guindastes, o que √© bastante dif√≠cil de realizar. Al√©m disso, neste caso, a bomba do sistema deve ser de maior pot√™ncia para compensar o aumento da resist√™ncia das v√°lvulas de balanceamento nos radiadores..

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre Circuito coletor: 1 Рcaldeira; 2 Рtanque de expansão; 3 Рcoletor de alimentação; 4 Рradiadores de aquecimento; 5 Рcoletor de retorno; 6 Рbomba

A segunda desvantagem do sistema coletor √© o grande n√ļmero de tubos.

A terceira desvantagem: os tubos n√£o s√£o colocados ao longo das paredes, mas ao longo das instala√ß√Ķes.

As vantagens do esquema:

  • falta de conex√Ķes no piso;
  • todos os tubos do mesmo di√Ęmetro, na maioria das vezes 16 mm;
  • o diagrama de conex√£o √© o mais simples de todos.

Sistema de ombro de dois tubos (beco sem saída)

Se a casa for pequena (n√£o mais de dois andares, com √°rea total de at√© 200 m2), n√£o faz sentido construir um passeio. O refrigerante alcan√ßar√° cada radiador. √Č altamente desej√°vel pensar sobre e instalar a caldeira de forma que os “ombros” – ramos de aquecimento separados, tenham aproximadamente o mesmo comprimento e tenham aproximadamente a mesma capacidade de transfer√™ncia de calor. Ao mesmo tempo, at√© os tees dividindo o fluxo em dois bra√ßos, bastam os tubos O 26 mm, ap√≥s os tees – O 20 mm, e na linha principal at√© o √ļltimo radiador da fileira e ramifica√ß√Ķes para cada radiador – O 16 mm. Os Tees s√£o selecionados de acordo com os di√Ęmetros dos tubos a serem conectados. Essa mudan√ßa nos di√Ęmetros √© um equil√≠brio do sistema, que n√£o requer ajuste de cada radiador separadamente..

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre Diferença na conexão de becos sem saída e esquemas de passagem

Vantagens adicionais do sistema:

  • n√ļmero m√≠nimo de tubos;
  • colocar tubos ao redor do per√≠metro das instala√ß√Ķes.

As juntas “costuradas” no piso devem ser feitas de polietileno reticulado ou metal-pl√°stico (tubos de metal-pol√≠mero). Design comprovado e confi√°vel.

Sistema de passagem de dois tubos (circuito Tichelman)

Este √© um sistema que n√£o precisa ser ajustado ap√≥s a instala√ß√£o. Isso √© conseguido devido ao fato de que todos os radiadores est√£o nas mesmas condi√ß√Ķes hidr√°ulicas: a soma dos comprimentos de todos os tubos (alimenta√ß√£o + retorno) para cada radiador √© a mesma.

O diagrama de conex√£o de um circuito de aquecimento: n√≠vel √ļnico (na mesma altura est√°tica), com radiadores de igual pot√™ncia, √© muito simples e confi√°vel. A linha de alimenta√ß√£o (exceto para o fornecimento ao √ļltimo radiador) √© feita de tubos de √ė 26 mm, a linha de retorno (exceto para a sa√≠da da primeira bateria) tamb√©m √© feita de tubos de √ė 26 mm. Os demais tubos s√£o de √ė 16 mm. O sistema tamb√©m inclui:

  • balanceamento de guindastes, se as baterias diferirem em pot√™ncia entre si;
  • v√°lvulas de esfera se as baterias forem as mesmas.

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre

O loop de Tichelman √© um pouco mais caro do que os sistemas coletores e becos sem sa√≠da. √Č aconselh√°vel projetar tal sistema se o n√ļmero de radiadores exceder 10 unidades. Para um n√ļmero menor, voc√™ pode escolher um sistema sem sa√≠da, mas sujeito √† possibilidade de uma divis√£o equilibrada dos “ombros”.

Ao escolher este esquema, deve-se atentar para a possibilidade de coloca√ß√£o de canos em todo o per√≠metro da casa, de forma a n√£o cruzar as portas. Caso contr√°rio, o tubo dever√° ser girado 180 ¬į, conduzindo-o de volta ao longo do sistema de aquecimento. Assim, em algumas √°reas, n√£o dois tubos ser√£o colocados lado a lado, mas tr√™s. Este sistema √© √†s vezes chamado de “tr√™s tubos”. Neste caso, o passeio torna-se desnecessariamente caro, complicado e vale a pena considerar outros esquemas de aquecimento, por exemplo, dividir em v√°rios “ombros” de um sistema sem sa√≠da.

Conex√£o ao sistema de aquecimento por piso radiante

Na maioria das vezes, o piso radiante √© um complemento do sistema de aquecimento principal, mas √†s vezes s√£o os √ļnicos aquecedores. Se o gerador de calor para piso radiante e radiadores for a mesma caldeira, ent√£o √© melhor instalar a tubula√ß√£o no piso no tubo de retorno, em um refrigerante resfriado. Se o sistema de piso radiante for alimentado por um gerador de calor separado, defina a temperatura de acordo com as recomenda√ß√Ķes para o piso radiante selecionado.

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre

A conex√£o desse sistema passa por um manifold, que consiste em duas partes. A primeira √© equipada com insertos de regulagem de v√°lvula, a outra parte √© equipada com rot√Ęmetros – ou seja, medidores de vaz√£o de portador de calor. Os rot√Ęmetros s√£o produzidos em dois tipos: com instala√ß√£o na alimenta√ß√£o e na devolu√ß√£o. Aconselhamento do mestre: se durante a instala√ß√£o voc√™ esqueceu qual rot√Ęmetro comprou, oriente-se na dire√ß√£o do fluxo – o fornecimento de fluido deve sempre ir “sob a sede”, abrindo a v√°lvula, e n√£o fechando-a.

Sistemas de aquecimento em uma casa particular: foto, conselho do mestre Ligação do piso radiante no retorno: 1 Рválvulas de esfera; 2 Рválvula de retenção; 3 Рmisturador de três vias; 4 Рbomba de circulação; 5 Рválvula de desvio; 6 Рcoletor; 7 Рpara a caldeira

Ao planejar um sistema de aquecimento em sua casa, você precisa pesar os prós e os contras de cada esquema em relação ao design da própria casa.

Avalie este artigo
( Ainda sem avalia√ß√Ķes )
Adicione coment√°rios

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: