Que líquido colocar no sistema de aquecimento da casa

Em sistemas de aquecimento hidr√°ulico, n√£o √© necess√°rio usar √°gua como meio de aquecimento. Dependendo do modo de uso e tipo de sistema, podem ser usados ‚Äč‚Äčl√≠quidos com propriedades especiais, por exemplo, baixo ponto de congelamento ou in√©rcia qu√≠mica.

Que líquido colocar no sistema de aquecimento da casa

O que h√° de ruim na √°gua comum

A pr√°tica mundial estabelecida de usar √°gua como refrigerante para sistemas de aquecimento √© explicada por seu baixo custo e disponibilidade. Ao mesmo tempo, a ind√ļstria qu√≠mica moderna oferece uma s√©rie de subst√Ęncias e compostos alternativos que, a um custo mais elevado, n√£o apresentam as principais desvantagens da √°gua comum..

Na maioria das vezes, a substitui√ß√£o da √°gua por um refrigerante especial √© necess√°ria devido ao modo de opera√ß√£o inconsistente de aquecimento. Em temperaturas negativas, a √°gua congela e expande de volume, o que na maioria dos casos provoca a destrui√ß√£o das tubula√ß√Ķes e do trocador de calor da caldeira. V√°rios refrigerantes, chamados anticongelantes, n√£o possuem essa propriedade: mesmo em temperaturas abaixo de -30 ¬į C, sua viscosidade s√≥ aumenta, mas sem consequ√™ncias irrevers√≠veis para o sistema..

Radiador de ferro fundido destruído após congelamento de águaRadiador de ferro fundido destruído após congelamento de água

Desvantagens adicionais da √°gua incluem sua agressividade aos metais e a capacidade de causar corros√£o. Al√©m disso, a √°gua dissolve bem o oxig√™nio, raz√£o pela qual a forma√ß√£o de g√°s com a forma√ß√£o de congestionamentos de ar √© poss√≠vel em um sistema de fornecimento de calor fechado. Finalmente, a √°gua √© capaz de dissolver sais e minerais, o que se reflete na forma√ß√£o de incrusta√ß√Ķes nas superf√≠cies internas do trocador de calor..

Resistência ao gelo do refrigerante

Um dos dois maiores grupos de fluidos especiais de transfer√™ncia de calor √© baseado em propilenoglicol (PG), um l√≠quido viscoso incolor com ponto de fus√£o de -60 ¬į C. L√≠quidos com base nesta subst√Ęncia podem congelar em diferentes temperaturas, o limite necess√°rio √© determinado pelas condi√ß√Ķes clim√°ticas e outras condi√ß√Ķes operacionais do equipamento.

Transportador de calor à base de propilenoglicolTransportador de calor à base de propilenoglicol

Existe outra classe de compostos – √† base de etilenoglicol (EG). E embora essa subst√Ęncia tenha um ponto de fus√£o bastante elevado, sua mistura com √°gua √© capaz de manter a fase l√≠quida quando resfriada a -50 ¬į C. Como no caso do SG, o ponto de congelamento do refrigerante pode variar dependendo da rela√ß√£o dos componentes iniciais da mistura de acordo com os requisitos de qualidade do refrigerante.

Transportador de calor à base de etilenoglicolTransportador de calor à base de etilenoglicol

Se do refrigerante apenas a capacidade de manter a fluidez em baixas temperaturas for necess√°ria, ent√£o as composi√ß√Ķes baseadas em GEE nesse aspecto s√£o muito mais lucrativas do ponto de vista econ√īmico e uma s√©rie de outras considera√ß√Ķes, que ser√£o consideradas abaixo. Nesse caso, o refrigerante n√£o precisa corresponder √† marca de temperatura cr√≠tica. Em vez de encher o sistema com um concentrado caro, voc√™ pode fornecer um dispositivo para manter uma temperatura aceit√°vel, por exemplo, um elemento de aquecimento el√©trico, enquanto derrama o anticongelante dilu√≠do.

Problema de redução da capacidade de calor

Um dos primeiros pr√©-requisitos para a introdu√ß√£o de refrigerantes especiais era a ideia de usar uma solu√ß√£o aquosa de glicerina como tal. Acreditava-se que, devido √† densidade mais alta, tal composi√ß√£o proporcionaria maior remo√ß√£o de calor do gerador de calor, reduzindo, assim, vazamentos parasitas com gases de exaust√£o. Por√©m, a ideia n√£o se justificava: a partir do superaquecimento, a glicerina se polimeriza, liberando um g√°s t√≥xico, al√©m disso, suas propriedades termof√≠sicas n√£o eram as mais destacadas. A situa√ß√£o √© semelhante com os anticongelantes modernos: como se viu, um l√≠quido com mais calor do que a √°gua n√£o existe na natureza, com exce√ß√£o de um hidrato de am√īnia t√≥xico e reativo.

Sistema de aquecimento doméstico anticongelante

Portanto, a opini√£o de que os refrigerantes especiais modernos aumentam a efici√™ncia de uma unidade geradora de calor √© um mito absoluto. As declara√ß√Ķes dos fabricantes sobre o aumento da capacidade de calor devem ser consideradas de um ponto de vista subjetivo, nada mais s√£o do que tentativas de eliminar a falta inerente de anticongelante.

Uma das mais vantajosas em termos de capacidade t√©rmica do anticongelante √© considerada uma solu√ß√£o aquosa de formato de pot√°ssio. Os portadores de calor nessa base realmente t√™m uma capacidade de calor mais alta em compara√ß√£o com SG e EG, mas o escopo de sua aplica√ß√£o √© limitado a sistemas fechados. O fato √© que na presen√ßa de oxig√™nio, o formiato se decomp√Ķe gradativamente, ou seja, em um sistema aberto, o refrigerante perde suas propriedades com relativa rapidez. Ao mesmo tempo, anticongelantes de formiato s√£o usados ‚Äč‚Äčh√° muito tempo e, al√©m de um baixo ponto de fus√£o, tamb√©m possuem as propriedades de um inibidor de corros√£o..

Proteção de radiadores de alumínio

Se radiadores seccionais de alum√≠nio forem usados ‚Äč‚Äčno sistema de aquecimento, existe um alto risco de corros√£o gradual de sua superf√≠cie interna. Este problema √© bem conhecido dos engenheiros de aquecimento: a √°gua reage extremamente ativamente com o alum√≠nio, especialmente quando aquecida. Em condi√ß√Ķes normais, a rea√ß√£o de oxida√ß√£o desaparece gradualmente devido √† passiva√ß√£o da superf√≠cie do metal com um filme de √≥xido, no entanto, no sistema de aquecimento, o l√≠quido est√° em constante movimento, enquanto as part√≠culas mec√Ęnicas suspensas nele descolam o filme resultante, assim, a parede da caixa do radiador est√° continuamente afinando.

Corrosão do radiador de alumínioCorrosão do radiador de alumínio

Uma maneira √≥bvia de sair dessa situa√ß√£o √© substituir a √°gua por um l√≠quido inativo, que √© o que a maioria dos refrigerantes especiais s√£o. Al√©m de os materiais de base (PG e EG) n√£o apresentarem tend√™ncia a rea√ß√Ķes qu√≠micas com metais, os aditivos especiais eliminam o risco de a √°gua n√£o ligada entrar em contato com o alum√≠nio.

No entanto, a decis√£o de substituir a √°gua pelo anticongelante apenas por causa do problema dos radiadores de alum√≠nio √© injustificada. O per√≠odo de uso efetivo do refrigerante √© limitado e deve ser trocado periodicamente. Portanto, do ponto de vista puramente econ√īmico, √© mais conveniente substituir os radiadores de alum√≠nio por bimet√°licos, ou equipar o sistema de aquecimento com uma esta√ß√£o de tratamento de √°gua e uma unidade de filtra√ß√£o mec√Ęnica para remover as impurezas s√≥lidas n√£o dissolvidas..

Aditivos especiais e prazo de validade

Por si só, os glicóis não perdem suas propriedades com o tempo, pelo menos durante o uso dentro do sistema de aquecimento. Porém, além da base, a composição anticongelante também inclui um pacote de aditivos que melhoram as propriedades químicas e às vezes termofísicas do líquido..

A composi√ß√£o exata do pacote de aditivos n√£o √© divulgada por nenhum dos fabricantes. De um lado, isso se deve a um segredo comercial, de outro, com uma prudente preocupa√ß√£o com a incompatibilidade com outras marcas de anticongelante. O propilenoglicol e o etilenoglicol misturam-se bem, o mesmo se aplica √†s suas solu√ß√Ķes aquosas. No entanto, √© precisamente por causa da presen√ßa de aditivos especiais na mistura de diferentes anticongelantes que fen√īmenos como a forma√ß√£o de inclus√Ķes densas, coagula√ß√£o e precipita√ß√£o, bem como a forma√ß√£o de espuma, podem ocorrer, e o tipo de base refrigerante n√£o desempenha um papel decisivo..

Meio de aquecimento para sistemas de aquecimento

A presen√ßa de aditivos tamb√©m se deve √† vida √ļtil limitada do refrigerante. O anticongelante pode ser armazenado em recipiente fechado e nas condi√ß√Ķes recomendadas por um per√≠odo relativamente longo, mas em opera√ß√£o mant√©m suas propriedades de 3 a 7 anos. O custo da composi√ß√£o √© amplamente determinado pela frequ√™ncia necess√°ria de sua substitui√ß√£o: quanto menos frequentemente, mais caro.

A quest√£o da toxicidade e descarte do refrigerante

O etilenoglicol √© uma subst√Ęncia t√≥xica e o anticongelante com base nele tamb√©m √© extremamente t√≥xico. Nesse caso, as vias de entrada do veneno no corpo s√£o completamente diferentes: pelo trato digestivo, pela pele, pelos pulm√Ķes e pelas mucosas. Os perigos do anticongelante √† base de EG s√£o em grande parte devido √† probabilidade de microleaks, que s√£o dif√≠ceis de detectar: ‚Äč‚Äča inala√ß√£o regular de vapores, mesmo em doses m√≠nimas, tem um efeito cumulativo. Portanto, os fluidos de transfer√™ncia de calor √† base de etilenoglicol n√£o devem ser usados ‚Äč‚Äčem sistemas de aquecimento abertos, com confian√ßa insuficiente na qualidade da instala√ß√£o de tubos e radiadores, bem como se houver uma caldeira de duplo circuito e uma caldeira de aquecimento indireto no sistema, onde √© poss√≠vel que o veneno passe de um circuito para outro.

Encher o sistema de aquecimento com anticongelante

O propilenoglicol pertence √† classe das subst√Ęncias seguras, √© utilizado como aditivo alimentar. No entanto, o refrigerante usado n√£o pode ser drenado para canais de drenagem e esgotos. Descarte os fluidos de transfer√™ncia de calor especiais de acordo com as regras de seguran√ßa ambiental. Uma das melhores sa√≠das √© entrar em contacto com uma esta√ß√£o de servi√ßo autom√≥vel, onde o autom√≥vel “Tosola” √© reciclado regularmente.

Regras de preparação de refrigerante

Fluidos especiais de transfer√™ncia de calor s√£o fornecidos na forma concentrada, mas tamb√©m podem ser usados ‚Äč‚Äčdilu√≠dos. As propor√ß√Ķes de mistura com √°gua s√£o definidas pelo fabricante, o ponto de congelamento depende principalmente da propor√ß√£o. Ao mesmo tempo, a anticorros√£o e outras propriedades n√£o s√£o muito perdidas, mas o efeito de economia √© evidente.

Diluir o refrigerante com √°gua da torneira n√£o √© uma boa ideia. Impurezas de clorato e fl√ļor podem causar um ciclo de rea√ß√£o qu√≠mica imprevis√≠vel, assim como √≠ons e minerais dissolvidos na √°gua. O mais adequado para esses fins √© √°gua fervida, e uma op√ß√£o bastante barata √© beber √°gua engarrafada usada em refrigeradores. O uso de √°gua da chuva muitas vezes √© impratic√°vel por um motivo simples: muito oxig√™nio ativo √© dissolvido no l√≠quido.

Tratamento de √°gua para sala da caldeiraTratamento de √°gua para sala da caldeira

Em geral, a pr√≥pria ideia de preparar √°gua para um sistema de aquecimento pode servir como uma boa alternativa ao uso de um refrigerante especial, desde que n√£o exija diretamente as propriedades de anticongelante. Por aproximadamente o mesmo pre√ßo, voc√™ pode comprar a esta√ß√£o de tratamento de √°gua pot√°vel mais simples com um ciclo de osmose reversa, eliminando assim a corros√£o eletroqu√≠mica e dep√≥sitos de incrusta√ß√Ķes. As impurezas mec√Ęnicas s√£o facilmente removidas por um filtro mec√Ęnico de 30-50 m√≠crons, instalado paralelamente ao fluxo de retorno com circula√ß√£o for√ßada por uma bomba adicional.

Avalie este artigo
( Ainda sem avalia√ß√Ķes )
Adicione coment√°rios

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: