Fazemos pisos de madeira a partir de placas sólidas

Ao mesmo tempo, os pisos de madeira natural foram esquecidos imerecida. Agora, com o desenvolvimento de novas tecnologias avan√ßadas para produ√ß√£o, prote√ß√£o e instala√ß√£o, elas s√£o cada vez mais utilizadas na constru√ß√£o de moradias privadas. O que n√£o √© surpreendente, pois j√° n√£o existe material mais nobre, “rico” e s√≥lido para a fabrica√ß√£o de pisos. Nem √© preciso dizer sobre o calor natural da madeira natural, sua absoluta compatibilidade ambiental.

Fazemos pisos de madeira a partir de placas sólidas

Pisos de placa maci√ßa montados com compet√™ncia t√™m confiabilidade e durabilidade, excelente higiene e isolamento ac√ļstico, n√£o se igualando em termos de caracter√≠sticas est√©ticas; a tecnologia de seu assentamento foi significativamente melhorada e facilitada. Esses pisos podem ser feitos sem problemas..

Instalação de uma tora de piso de madeira

As defasagens s√£o o elemento principal da estrutura do piso de madeira. A vida √ļtil e a confiabilidade do piso dependem de sua correta sele√ß√£o e instala√ß√£o. Os erros cometidos nesta fase s√£o muito dif√≠ceis de corrigir posteriormente, pois a estrutura ficar√° totalmente recoberta com uma camada de acabamento, que √© muito dif√≠cil de desmontar sem danificar.

Para a fabrica√ß√£o das toras, utiliza-se uma barra chata seca, via de regra, de con√≠feras, com espessura de 50 mm. A altura do tronco √© selecionada com base na dist√Ęncia entre os suportes, a carga esperada, o tipo de revestimento, √†s vezes a espessura da camada de isolamento ac√ļstico, etc. Normalmente, esse n√ļmero varia de 50 a 100 mm. Entre si, as toras est√£o localizadas a uma dist√Ęncia de 300 a 500 mm, o que tamb√©m depende do tipo de piso acabado.

Acredita-se que √© melhor que as juntas longitudinais da t√°bua do piso estejam localizadas na dire√ß√£o da luz predominante – na maioria das vezes para a janela, ent√£o as toras devem ser colocadas perpendicularmente. √Äs vezes, surgem dificuldades com isso, devido √† dire√ß√£o das vigas do piso ou ao comprimento do material de acabamento e ao desejo do desenvolvedor de se livrar de conex√Ķes de extremidade desnecess√°rias da placa.

Antes de iniciar a instala√ß√£o do piso, utilizando um n√≠vel h√≠drico nas paredes, coloque marcas nos cantos da sala a uma altura conveniente (por exemplo, 1,5 metros) e ligue-as com uma corda de corte, obtendo assim uma linha de controle s√≥lida. Agora, usando uma fita m√©trica, em primeiro lugar, voc√™ pode medir com precis√£o a horizontalidade da base do piso contra as paredes, e em segundo lugar, definir com precis√£o todas as toras, mantendo uma determinada dist√Ęncia. Puxando um fio de n√°ilon forte entre as paredes da linha de controle, verifique o n√≠vel do ch√£o sujo na parte de tr√°s da sala.

Se em todos os c√īmodos de um mesmo andar os pisos s√£o planejados para serem executados no mesmo n√≠vel, se as portas internas n√£o possuem soleiras, √© imprescind√≠vel medir o n√≠vel do piso em diferentes pontos de cada c√īmodo, fazendo anota√ß√Ķes na planta. Assim, voc√™ pode determinar o ponto mais alto do piso sujo do piso, a partir do qual outros c√°lculos ser√£o feitos..

O primeiro em v√°rios substratos √© instalar o extremo lag, localizado a 20-30 mm da parede. A dist√Ęncia da linha de controle at√© a borda superior da primeira tora √© medida com uma fita m√©trica, ap√≥s a qual a segunda √© colocada na mesma marca na parede oposta. Agora, com a ajuda de um cabo esticado sobre o topo das toras extremas, ou uma r√©gua longa, voc√™ pode definir barras intermedi√°rias. O desvio em um plano alinhado corretamente n√£o deve exceder 1 mm por 1 metro linear em qualquer dire√ß√£o.

Fazemos pisos de madeira a partir de placas sólidas

Materiais el√°sticos densos devem ser usados ‚Äč‚Äčcomo gaxetas, que n√£o est√£o sujeitos a apodrecimento e deforma√ß√£o por cargas din√Ęmicas. √Č muito c√≥modo trabalhar com os chamados “eurorruberoides”, borrachas, pe√ßas de tapete rolante … √Č √≥ptimo quando existem almofadas de v√°rias espessuras √† m√£o. A fim de evitar o deslocamento das almofadas, elas devem ser fixadas com parafusos auto-roscantes ou grampos nas toras.

Na instalação das travas, recomenda-se fixá-las junto com trilhos auxiliares, o que ajudará a evitar seu deslocamento antes de instalar o piso de acabamento.

√Č dada especial aten√ß√£o √†s portas, pois s√£o os locais sujeitos a cargas mais elevadas devido ao tr√°fego intenso. Normalmente, aqui √© colocada uma tora refor√ßada de largura dupla, projetando-se em ambos os lados da folha da porta, de modo que as coberturas das salas adjacentes repousem sobre ela..

Se as toras precisam ser unidas ao longo do comprimento, isso deve ser feito em um padrão xadrez com lacunas tecnológicas entre as extremidades das barras de 15 a 20 mm.

Para eliminar irregularidades locais na madeira, as toras já instaladas às vezes precisam ser aplainadas localmente com uma plaina.

Estas s√£o, de fato, as etapas b√°sicas para a montagem de pisos de madeira, mas dependendo do tipo de base sobre a qual s√£o montados, a tecnologia de constru√ß√£o de sua estrutura ser√° um pouco diferente. O primeiro tipo √© uma op√ß√£o quando a base de sustenta√ß√£o do piso s√£o as vigas do piso de uma casa com v√°rios pisos ou uma grande cave. Freq√ľentemente, os pisos de madeira s√£o feitos sobre uma base de concreto pr√©-preparada – este √© o segundo tipo. O terceiro tipo √© uma estrutura de madeira feita no ch√£o. √Č usado para arrumar o ch√£o do primeiro andar.

Como regra, durante o reparo e a reconstru√ß√£o, voc√™ n√£o precisa escolher uma dessas op√ß√Ķes, pois elas se devem ao tipo de edif√≠cio e √†s caracter√≠sticas do projeto. No entanto, ao construir uma nova casa, voc√™ pode levar em considera√ß√£o todos os pr√≥s / contras de cada op√ß√£o e projetar com anteced√™ncia a base necess√°ria para uma estrutura de piso espec√≠fica..

Toras nas vigas do piso

Este √© o caso quando n√£o se pode prescindir de piso nas toras. Basicamente, esses pisos s√£o feitos em casas de madeira, no entanto, cada vez mais frequentemente em constru√ß√Ķes individuais, os pisos de madeira encontram um lugar para si quando erguem paredes de materiais minerais. Neste caso, as vigas de suporte s√£o instaladas n√£o apenas entre os n√≠veis, mas tamb√©m no primeiro andar (subsolo). Esta concep√ß√£o exclui o contacto dos elementos de madeira com o solo, o que permite um isolamento t√©rmico de elevada qualidade, ventila√ß√£o e garante naturalmente a durabilidade e fiabilidade do pavimento..

N√£o √© recomend√°vel colocar um piso de acabamento diretamente nas vigas do piso, pois durante o funcionamento ocorrer√£o vibra√ß√Ķes sonoras muito graves, transmitidas para as paredes da casa. Esse projeto, √© claro, √© muito barato e menos trabalhoso, mas tem um n√≠vel de ru√≠do muito alto. √Č por isso que √© necess√°rio usar toras e v√°rias almofadas de amortecimento de vibra√ß√£o..

Fazemos pisos de madeira a partir de placas sólidas

Na maioria das vezes, as toras s√£o instaladas perpendicularmente √†s vigas, colocando juntas de v√°rios materiais de absor√ß√£o de ru√≠do sob elas. Uma op√ß√£o muito interessante √© quando as toras s√£o aparafusadas √†s vigas pela lateral com alguma sali√™ncia acima da planta do piso. Parafusos autorroscantes galvanizados poderosos com um di√Ęmetro de 6 mm ou mais ou uma conex√£o roscada usando parafusos ou pinos s√£o usados ‚Äč‚Äčcomo fixadores. √Č bastante simples definir o plano com este m√©todo, mas entre as toras e as vigas, voc√™ tamb√©m precisa prender juntas el√°sticas.

Trabalhando em vigas de piso, geralmente s√£o feitos pisos duplos, consistindo de dois pisos – um tronco (piso acabado) e uma sele√ß√£o (piso √°spero). O contrapiso √© feito de madeira n√£o comercial de baixa qualidade – laje, placa n√£o cortada ou materiais de folha cortada – OSB, aglomerado, compensado, etc. A sele√ß√£o √© colocada entre as vigas em barras “cranianas”, ap√≥s o qual materiais de isolamento ac√ļstico e t√©rmico s√£o colocados / derramados sobre ela.

Atrasos no ch√£o

Os pisos do primeiro andar podem ser dispostos em suportes independentes que n√£o est√£o conectados com a estrutura da parede, o que reduz significativamente o n√≠vel de vibra√ß√£o e vibra√ß√Ķes sonoras. Os postes para a instala√ß√£o do lag s√£o feitos de tijolos vermelhos recozidos, s√£o instalados sobre alicerces de concreto ou brita cravada no solo. Al√©m disso, as estacas de parafuso podem ser usadas como pilares de suporte..

As colunas s√£o instaladas com uma dist√Ęncia de 500 – 100 mm entre si e 300 – 500 mm ao longo dos eixos entre as filas, que corresponder√£o aos intervalos entre as defasagens. Poss√≠veis juntas de retardo devem estar nos postes. A altura dos postes √© feita de modo que a dist√Ęncia entre a parte de tr√°s da placa do piso e a base, a camada subjacente, n√£o exceda 250 mm. Para garantir uma impermeabiliza√ß√£o confi√°vel, folhas de material de cobertura dur√°vel e borracha s√£o colocadas sob as toras. Al√©m disso, entre as toras e postes de tijolo, use bem tratado com gaxetas anti-s√©pticas feitas de t√°buas cortadas com espessura de pelo menos 25 mm.

Atrasos em concreto armado

As defasagens sobre uma base de concreto s√£o instaladas por meio de almofadas el√°sticas com espessura de pelo menos 10 mm. Eles est√£o localizados nos locais onde as toras s√£o fixadas ao piso principal. √Č conveniente a montagem de toras em lajes de concreto armado por meio de suspens√Ķes diretas, que s√£o utilizadas em obras de gesso cartonado. Eles precisam ser fixados com buchas de alta qualidade com uma rolha de cogumelo atrav√©s de juntas de borracha. “Pashka” n√£o √© um elemento de suporte de carga r√≠gido, voc√™ n√£o pode prescindir de um conjunto de juntas de v√°rias espessuras mesmo na mesa mais plana – s√£o elas que suportam toda a carga. O “pe√£o” √© bastante m√≥vel e el√°stico e, portanto, n√£o transmite vibra√ß√Ķes ao ch√£o, com a sua ajuda √© muito conveniente colocar e fixar as toras no plano do ch√£o..

Se a laje apresentar irregularidades graves, não se deve montar as toras, utilizando uma grande quantidade de substratos, é melhor pré-nivelar com uma régua de cimento..

Tamb√©m existe uma tecnologia para a instala√ß√£o de pisos em vigas regul√°veis. √Č baseado em um sistema de nivelamento r√°pido e preciso da placa do piso usando racks especiais de pol√≠mero roscado. Desta forma, voc√™ pode facilmente elevar as vigas acima da base em at√© 300 mm, o que √© muito conveniente na constru√ß√£o de pisos de v√°rios n√≠veis e no nivelamento de pisos muito irregulares. O design da barra ajust√°vel √© leve e tem um bom desempenho de isolamento ac√ļstico, uma vez que as colunas s√£o feitas de pl√°stico.

Fazemos pisos de madeira a partir de placas sólidas

Alguns especialistas recomendam n√£o prender as toras na base para evitar a transmiss√£o de vibra√ß√Ķes sonoras para a laje, por√©m, para obter uma moldura horizontal de alta qualidade, √© necess√°rio ter √† sua disposi√ß√£o toras perfeitamente planas e geometricamente precisas, bem como uma base bem preparada.

Fazendo calçadão

Para o dispositivo de pavimentação, utiliza-se uma tábua de espécies caducas e coníferas, cuja umidade não ultrapasse 12%. A espessura do piso é calculada com base nas cargas esperadas, mas não é inferior a 25 mm. A placa pode ser conectada ao longo do comprimento, mas apenas as juntas devem estar localizadas com um deslocamento de pelo menos 500 mm e sempre no mesmo desfasamento. As tábuas do deck podem ser ranhuradas na forma de um quarto ou lingueta, ou montadas costas com costas. A conexão macho-fêmea e ranhura garante o encaixe mais justo das placas entre si e, consequentemente, resistência sólida à umidade e isolamento térmico do piso como um todo. Nas faces inferiores da placa, como regra, várias ranhuras longitudinais são feitas para ventilação de ar.

Antes de iniciar o trabalho, o piso deve ser trazido para dentro da sala para aclimata√ß√£o com pelo menos 3-4 dias de anteced√™ncia. Nesse momento, todo o trabalho de desbaste √ļmido deve ser conclu√≠do com anteced√™ncia, as superf√≠cies devem ser secas. A umidade relativa da sala pode estar na faixa de 40-60%, n√£o mais.

A prancha deve ser cuidadosamente classificada, selecionando tiras curvas, com nós e danificadas, isso facilitará muito o trabalho posterior e garantirá uma aparência impecável do produto acabado.

Na maioria das vezes, as tábuas do assoalho são colocadas perpendicularmente à parede com a janela, de modo que as juntas longitudinais coincidam com a direção da luz predominante. No entanto, se os pisos são montados em vigas de piso, então, na verdade, não há escolha.

A primeira placa √© instalada a uma dist√Ęncia de 10-15 mm da parede e fixada atrav√©s do corpo de forma que os elementos de fixa√ß√£o sejam posteriormente cobertos com um rodap√©. Dentro da sala, o tabuleiro pode ser girado tanto com uma sali√™ncia quanto com uma ranhura, tudo depende do m√©todo de fixa√ß√£o. Usando um cord√£o ou uma r√©gua longa presa na lateral, √© necess√°rio verificar a precis√£o da instala√ß√£o da primeira placa para evitar o arco.

Fazemos pisos de madeira a partir de placas sólidas

Para a instala√ß√£o da placa do piso, s√£o usados ‚Äč‚Äčparafusos autorroscantes galvanizados dur√°veis ‚Äč‚Äčcom uma cabe√ßa sob a varredura, com pelo menos o dobro do comprimento da espessura do piso. Um orif√≠cio para um parafuso autorroscante √© feito atrav√©s de uma ranhura ou sali√™ncia em um √Ęngulo de 45-50 graus, de modo que sua cabe√ßa seja coberta pela pr√≥xima placa. Os parafusos auto-roscantes fixam de forma fi√°vel o pavimento nas toras, evitando folgas e movimentos durante o funcionamento, os pregos neste aspecto s√£o um tanto inferiores, embora seja mais c√≥modo trabalhar com eles. Os pregos tamb√©m s√£o inseridos em √Ęngulo em uma ranhura ou crista sem pr√©-perfura√ß√£o, suas cabe√ßas s√£o afundadas na madeira usando um doboiner. Ao instalar a placa de piso “ponta a ponta”, os pregos s√£o atingidos atrav√©s da placa frontal e cravados, ap√≥s o que s√£o fechados com um tarugo.

Cada placa subsequente é empurrada para a ranhura ou crista da anterior usando um martelo e uma guia de madeira. Se não for possível apertar bem as duas tiras, recorrem a um suporte cravado na tora e a duas cunhas com as quais as tábuas são puxadas. A lacuna entre duas placas adjacentes não pode ser superior a 1 mm.

As placas com suas extremidades não devem atingir as paredes em 8-15 mm, o que fornecerá a folga de deformação e ventilação necessárias.

A √ļltima placa √© cortada na largura para que haja uma lacuna perto da parede. Ele √© instalado usando uma cunha cravada em um espa√ßador com uma parede ou usando um suporte em forma de Z especial. Como a faixa inicial, a √ļltima placa √© fixada pela face frontal com parafusos auto-roscantes, que se sobrep√Ķem a um pedestal.

Fazemos pisos de madeira a partir de placas sólidas

A disposi√ß√£o diagonal do piso parece muito bonita, em que o espa√ßo se expande visualmente, o interior ganha caracter√≠sticas de novidade e dinamismo. Observe que para esta op√ß√£o, o passo entre as defasagens deve ser feito menos do que com os m√©todos de montagem tradicionais. O efeito √ļnico de um piso de conv√©s √© obtido por uma combina√ß√£o de t√°buas de piso de diferentes larguras, especialmente porque alguns fabricantes oferecem tiras de v√°rios tamanhos padr√£o.

Soalho de madeira insonorizado

O problema de isolamento ac√ļstico √© especialmente relevante ao instalar pisos em edif√≠cios de v√°rios n√≠veis. Uma das op√ß√Ķes para a sua solu√ß√£o √© a instala√ß√£o de um “pavimento flutuante”, cuja principal caracter√≠stica √© a aus√™ncia de liga√ß√Ķes r√≠gidas da sua estrutura com as estruturas envolventes, o que reduz significativamente o n√≠vel de ru√≠do de impacto. Da√≠ surge a ideia de usar lags soltas ou “semifixadas” (em suspens√Ķes retas, suportes de pol√≠mero). √Č para garantir o isolamento ac√ļstico que todos os elementos estruturais do piso de madeira s√£o conectados por meio de juntas feitas de materiais el√°sticos el√°sticos..

Fazemos pisos de madeira a partir de placas sólidas

Deixe uma folga de pelo menos 10 mm entre o piso e as paredes, evitando o contato direto. Às vezes, nesses locais, uma fita de perímetro de espuma é colada, que é cortada após a instalação do piso.

O material de isolamento ac√ļstico n√£o deve ser colocado pr√≥ximo ao piso limpo, uma lacuna de cerca de 10 mm deve ser deixada para a circula√ß√£o de ar no contrapiso.

Al√©m do piso flutuante, a quest√£o de lidar com o ru√≠do de impacto √© resolvida com a utiliza√ß√£o de materiais isolantes de som, que s√£o colocados entre as toras ou no espa√ßo entre o piso √°spero e final do piso duplo. Se antes eram usados ‚Äč‚Äčargila expandida, areia grossa seca e esc√≥ria para esses fins, agora os materiais fibrosos isolantes de som, por exemplo, l√£ de basalto, que t√™m excelentes caracter√≠sticas de desempenho, est√£o assumindo a lideran√ßa. Para insonorizar o piso, ser√° necess√°rio colocar uma camada de l√£ de pelo menos 50 mm, naturalmente, as esteiras devem ficar bem encaixadas nas toras, preenchendo todos os vazios. Recomenda-se cortar placas de isolamento ac√ļstico 10-20 mm maiores do que o tamanho necess√°rio.

Ventilação de piso de madeira

A ventila√ß√£o adequadamente organizada de um piso de madeira permite remover r√°pida e totalmente a umidade do espa√ßo subterr√Ęneo, o que prolonga a vida das estruturas de madeira e protege os troncos da decomposi√ß√£o. Para uma boa ventila√ß√£o do piso, uma s√©rie de medidas s√£o tomadas na fase de instala√ß√£o da estrutura e do dispositivo de piso.

Como j√° dissemos, as toras s√£o colocadas em “pontos” de apoio, de forma que o movimento do ar livre seja poss√≠vel sob elas. Uma lacuna de 10 mm √© deixada entre o deck e as paredes, que √© coberta com um rodap√©. As amostras s√£o feitas nas faces internas do piso. Em dois cantos opostos da sala, “aberturas” s√£o dispostas – uma s√©rie de pequenos orif√≠cios pr√≥ximos (cerca de 10-15 mm de di√Ęmetro) ou uma janela quadrada ou retangular no piso, coberta com uma grade decorativa.

√Č muito bom se o ar for colocado sob o aquecedor, isso ir√° fornecer circula√ß√£o de ar adicional.

Os pisos do primeiro andar de uma casa particular s√£o geralmente isolados do por√£o. Isso torna poss√≠vel organizar a ventila√ß√£o do contrapiso “frio”. Para isso, no subsolo da funda√ß√£o, na fase de sua constru√ß√£o, s√£o instaladas sa√≠das de ar – orif√≠cios da ordem de 100×150 mm, fechados de roedores com uma fina malha met√°lica. O n√ļmero e a localiza√ß√£o de tais aberturas s√£o ditados pelas caracter√≠sticas de design do edif√≠cio, relevo do local, dire√ß√£o dos ventos predominantes, condi√ß√Ķes clim√°ticas, etc..

√Äs vezes, para ventilar o contrapiso do primeiro andar, como o mais vulner√°vel, al√©m da circula√ß√£o natural do ar pelas aberturas, √© feita a ventila√ß√£o for√ßada. Isso √© especialmente verdadeiro ao identificar erros no projeto de ventila√ß√£o e suspeita de ac√ļmulo de umidade no subcampo. Ventiladores de duto e v√°rios dutos de ventila√ß√£o v√™m em socorro.

Processamento de pisos de madeira

Para que os pavimentos de madeira revelem totalmente a sua beleza natural, para que se tornem verdadeiramente práticos e duradouros, é imprescindível que seja realizado um conjunto de medidas para o seu tratamento decorativo e protector..

A etapa inicial desse trabalho √© o tratamento anti-s√©ptico de toras e t√°buas de assoalho, que proteger√° a madeira dos efeitos adversos de fungos e insetos. Freq√ľentemente, essa impregna√ß√£o tem propriedades n√£o apenas biol√≥gicas, mas tamb√©m ao fogo, bem como prote√ß√£o contra umidade de estruturas de madeira. Via de regra, o beneficiamento dos elementos de piso √© feito antes de serem instalados em seus lugares, recobrindo a madeira v√°rias vezes at√© que as fibras estejam completamente saturadas. Aten√ß√£o especial deve ser dada √†s pontas da madeira serrada. O piso acabado √© aberto completamente, incluindo as travas e as faces inferiores.

Fazemos pisos de madeira a partir de placas sólidas

Uma vez que os pisos são montados, às vezes é necessário fazer uma goivagem e lixá-los. Deve-se dizer que uma tábua moderna, devido a sua alta manufatura na sua fabricação, possui uma altíssima qualidade de superfícies, uma forma geométrica exata da seção, o que praticamente exclui o trabalho complexo associado ao uso de aplainadoras e retificadoras, basta montar com precisão a moldura.

Se voc√™ ainda precisar planejar e polir, primeiro verifique se n√£o h√° cabe√ßas de pregos e cabe√ßas de parafusos na superf√≠cie do ch√£o, o que pode danificar as pe√ßas de trabalho da ferramenta el√©trica. Se necess√°rio, os fixadores devem ser virados para uma profundidade adequada, o orif√≠cio deve ser fechado com uma bucha (tamp√£o de madeira). As irregularidades locais s√£o massa com compostos el√°sticos especiais que combinam com a cor de um determinado tipo de madeira. O aplainamento √© realizado em piso levemente √ļmido, todos os movimentos s√£o feitos no sentido das fibras, em locais onde uma grande m√°quina n√£o √© adequada para o processamento (cantos, bordas do piso contra as paredes …) deve-se usar uma ferramenta manual.

O piso √© lixado de uma placa maci√ßa em v√°rias etapas, come√ßando com grandes abrasivos, reduzindo gradativamente a granula√ß√£o. Os primeiros movimentos s√£o feitos em um √Ęngulo de 45 graus em rela√ß√£o √†s t√°buas do piso, depois – 90 graus em rela√ß√£o √† primeira passagem, terminando o lixamento na dire√ß√£o da fibra da madeira.

O trabalho de esmerilhamento está associado à formação de uma grande quantidade de poeira fina, portanto, é recomendado isolar as salas adjacentes da contaminação, fornecer ventilação, utilizar equipamentos de proteção individual Рóculos, respirador, fones de ouvido.

Freq√ľentemente, os pisos de madeira s√£o feitos de madeira leve e macia, portanto, para imitar a madeira dura cara, usam-se manchas tonais, que diversificam significativamente a gama de cores dispon√≠vel do produto acabado e permitem que os pisos combinem harmoniosamente com o interior geral da sala. As manchas s√£o aplicadas ao longo das fibras com pincel, rolo ou spray em uma camada cont√≠nua. Para distribuir uniformemente o pigmento, os pisos devem primeiro ser limpos de poeira, contamina√ß√£o de √≥leo e cuidadosamente preparados.

Depois que a √ļltima camada de mancha secar, voc√™ pode aplicar um verniz protetor. Um verniz especial resistente √† abras√£o √© aplicado pelo menos duas vezes e, quanto mais camadas, mais confi√°vel ser√° o revestimento. Cada camada, exceto a √ļltima, √© lixada com abrasivos de gr√£o fino.

De acordo com v√°rios crit√©rios, as melhores composi√ß√Ķes para prote√ß√£o de pisos de madeira maci√ßa s√£o tintas e vernizes feitos √† base de √≥leos vegetais e ceras duras, que penetram profundamente na estrutura da √°rvore, mas ao mesmo tempo n√£o fecham seus poros, o que torna os pisos “respir√°veis” – muito ecologicamente corretos e dur√°vel. Destacam-se os vernizes alqu√≠drico-uretano e √† base de √°gua, que tamb√©m apresentam excelentes caracter√≠sticas de desempenho. Caracter√≠sticas da tecnologia de aplica√ß√£o de composi√ß√Ķes protetoras e decorativas, visto que, de fato, o tipo de composi√ß√Ķes em si depende muito das caracter√≠sticas da madeira da qual o piso √© feito.

Atualmente, n√£o √© um problema escolher o verniz certo para absolutamente quaisquer condi√ß√Ķes, o principal √© aplic√°-lo com alta qualidade, esta circunst√Ęncia determinar√° a durabilidade do revestimento e qu√£o espetacular em beleza seu piso de madeira ficar√°.

Avalie este artigo
( Ainda sem avalia√ß√Ķes )
Adicione coment√°rios

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: